Dicas de livros com o selo Ribombo de qualidade para suas férias


Como todos devem saber, as tão esperadas e sonhadas férias para além de servirem pro nosso tão merecido descanso, já que labutamos o ano todo sem parar vendendo nossa força de trabalho (a um preço não tão justo), também servem para que possamos finamente ler o que queremos, sem os entraves das nem sempre prazerosas leituras acadêmicas. Diante disso, nós do Ribombo, gostaríamos de dar algumas dicas de leitura para suas férias, sendo essas, leituras tranquilas e agradáveis, para todos os gostos: literatura Ciberpunk, filosófica, romance, literatura policial e sobre fotografia; obras escritas por grandes autores, como Clarice Lispector, Vitor Hugo e Artur Conan Doyle.

Portanto, deixamos aqui algumas dicas de livros para as férias e voltamos com atualizações no mês de fevereiro. Até lá, vá a praia e leve um desses pra ler entre um mergulho e outro!

DICAS DA RACHEL:

       
Neuroromancer – William Gibson
No universo de Neuromancer, as pessoas se conectam a uma espécie de alucinação coletiva digital, acessada via computadores. O mundo é dominado por corporações e a tecnologia está presente em todos os lugares, até mesmo nos seres humanos, que possuem implantes para o desenvolvimento de certas habilidades. O autor demonstra grande talento ao criar um universo que se aproxima muito da realidade contemporânea. Parte dessa ambientação é realizada também pela utilização de marcas e referências famosas do mundo pop.

Foi em Neuromancer que Gibson difundiu o termo ciberespaço, ao apresentar de forma inédita o conceito que conhecemos hoje como internet. Ele previu um futuro em que o mundo virtual se sobressai sobre a vida real.


Placas Tectônicas – Margaux Motin
Aos 35 anos, Margaux Motin narra os erros e acertos que abalaram sua existência em páginas repletas de humor e realidade. Uma separação e um novo amor mudam radicalmente sua vida de mulher com trinta e poucos anos de idade; uma época em que decisões abruptas podem levar a consequências desastrosas.












DICAS DA ANA LÚCIA:

Eros e Civilização – Herbert Marcuse
Na teoria freudiana, a civilização surge-nos estabelecida em contradição com os instintos primários e o princípio de prazer, na permanente subjugação dos instintos humanos. A livre gratificação das necessidades do homem seria, pois, incompatível com a sociedade civilizada: dilação e renúncia na satisfação constituem pré-requisitos do progresso.Para Marcuse, porém, a própria concepção teórica de Freud parece refutar a firme negação deste, da possibilidade histórica de uma civilização não repressiva. Opondo-se às escolas revisionistas neofreudianas, afirma que a teoria de Freud é “sociológica” em sua substância, que o “biologismo” é teoria social em uma dimensão profunda e que, portanto, nenhuma nova orientação cultural ou sociológica é necessária para revelar essa substância. 



Micropolítica: cartografias do desejo – Felix Guatarri & Suely Rolnik
O livro é uma aventura intelectual pela filosofia, psicologia e política. Contém, em forma de estudos, diálogos, trechos de cartas, etc., análises sobre cultura, história, subjetividade, política, desejo, minorias, etc., numa ótica diferente, colocando questões que atravessam e remexem com vários campos do conhecimento.










DICAS DO MATHEUS:

A hora da estrela – Clarice Lispector
Lançada pouco antes de sua morte em 1977, a obra conta os momentos de criação do escritor Rodrigo S. M. (a própria Clarice) narrando a história de Macabéa, uma alagoana órfã, virgem e solitária, criada por uma tia tirana, que a leva para o Rio de Janeiro, onde trabalha como datilógrafa. Em A hora da estrela Clarice escreve sabendo que a morte está próxima e põe um pouco de si nas personagens Rodrigo e Macabéa. Ele, um escritor à espera da morte; ela, uma solitária que gosta de ouvir a Rádio Relógio e que passou a infância no Nordeste, como Clarice.






Admirável mundo novo – Aldous Huxley
Uma sociedade inteiramente organizada segundo princípios científicos, na qual a mera menção das antiquadas palavras “pai” e “mãe” produzem repugnância. Um mundo de pessoas programadas em laboratório, e adestradas para cumprir seu papel numa sociedade de castas biologicamente definidas já no nascimento. Um mundo no qual a literatura, a música e o cinema só têm a função de solidificar o espírito de conformismo. Um universo que louva o avanço da técnica, a linha de montagem, a produção em série, a uniformidade, e que idolatra Henry Ford. 






DICA DO GABRIEL:

Piratas de dados – Bruce Sterling
Laura Webster e seu rápido caminho para o sucesso. Jovem e brilhante executiva de uma gigantesca corporação multinacional, vive numa idade pós-milênio de paz, prosperidade e lucro. Numa era de tecnologia avançada em que a informação é o bem mais precioso. A informação é poder. Os dados são trancados em computadores e racionados por meio de uma rede de comunicação global. O completo acesso é privilégio de poucos. E agora Laura Webster está para mergulhar fundo num mercado negro dos piratas de dados, no mundo dos mercenários da Nova Era, do vodu de alta tecnologia... e da morte.






DICAS DO FELIPE:

Trabalhadores do mar – Victor Hugo
O livro narra a luta do homem contra as forças da natureza e o poder de uma paixão. Ambientada na ilha de Guernesey, no canal da Mancha, o enredo entrelaça diversos destinos à trágica sina do marinheiro Gilliatt, que por amor à bela Déruchette, se empenha em realizar uma missão quase impossível - impedir que o coração do navio a vapor termine no fundo do mar.










Maior que o mundo – Reinaldo Moraes
Depois do enorme sucesso com o romance Strumbicômboli, Cássio Adalberto, mais conhecido como Kabeto, não foi capaz de escrever uma linha sequer do seu novo livro. O motivo: ele não consegue encontrar a primeira frase. A primeira, primordial sentença que irá dar o tom de todo o romance. Numa sexta à noite, ele cruza a cidade a pé até o Farta Brutos, o bar de onde é cliente cativo. Carrega consigo um gravador, onde capta suas impressões — ou qualquer coisa que lhe venha à cabeça.








DICA DA SABRINA:

O amor nos tempos do cólera – Gabriel García Márquez
Ainda muito jovem, o telegrafista, violinista e poeta Gabriel Elígio Garciá se apaixonou por Luiza Márquez, mas o romance enfrentou a oposição do pai da moça, coronel Nicolas, que tentou impedir o casamento enviando a filha ao interior numa viagem de um ano. Para manter seu amor, Gabriel montou, com a ajuda de amigos telegrafistas, uma rede de comunicação que alcançava Luiza onde ela estivesse. Essa é a história real dos pais de Gabriel García Márquez e foi ponto de partida de "O amor nos tempos do cólera", que acompanha a paixão do telegrafista, violinista e poeta Florentino Ariza por Fermina Daza.






DICAS DO RAFA:

A vampira de Sussex – Conan Doyle
O livro Sherlock Holmes 'A vampira de Sussex” Conta sobre o grande e aclamado detetive Sherlock Holmes, tentando desvendar o caso recebido por uma carta do senhor Ferguson que falava que sua esposa havia se transformado em uma vampira . E assim Sherlock e Watson partem para desvendar esse caso. Minha opinião sobre esse livro, como todos os outros desse gênero nos leva a tentar bancar o detetive e desvendar o caso primeiro do que o detetive da história.










O jogador desaparecido – Conan Doyle
Livro que reúne uma série de contos de Sherlock Holmes. 

















DICA DO ALTEMIR:

Histórias reais – Sophia Calle
Histórias reais é um livro artístico que eleva o texto e a fotografia para o mesmo nível. Relatando experiências autobiográficas, Sophie Calle deixa um mistério ao leitor sobre o que seria verdade ou invenção. Essa dualidade de sensações que constrói a obra. Com textos curtos, o leitor é conduzido às aventuras pessoais da autora e artista consagrada – relacionamentos, infância, cotidiano – e envolvido numa experiência sensorial. Histórias reais é o primeiro livro da autora publicado no Brasil.