Orientação de TCC corre bem e integrante do Ribombo consegue dormir bem a noite


Por maior que seja minha vontade de passar todos os dias dessa quarentena jogando vídeo game e assistindo coisas na internet, contrariei meus pensamentos e decidi por dar início ao meu trabalho de conclusão de curso. Claro, o maior motivo pra isso é eu não querer ocupar meu tempo ocioso que gostaria de ter quando as aulas voltarem com o tcc, nem complicar a vida da minha orientadora quando as tarefas também voltarem a se acumular, já que é o modus operandi da vida na universidade.

Dito isso, nesse último sábado, dia 30 de maio, realizamos uma orientação virtual, como já há algum tempo o fazemos, pois é o método que optamos para conversarmos sobre esse trabalho especificamente. Reservamos esse dia para ela me dar o parecer acerca do primeiro capítulo do trabalho que eu enviei pra ela uns dias antes, e por mais que eu estivesse esperando uma bela bronca e minha exoneração do cargo de orientando dela, também por ter tido pesadelos nas noites que antecederam esse nosso encontro, eu tive uma surpresa bem agradável, ganhei os parabéns!

Foi bem espantoso receber os parabéns por algo feito durante um contexto nem um pouco favorável para o desenvolvimento desse tipo de atividade, onde temos que sentar, estudar, pensar e escrever, fazendo o possível pra não ficar só pensando nas bombas que nos atingem todos os dias, não somente, mas principalmente por vivermos nesse nosso querido país que as vezes parece contrariar as leis da lógica aceitável. E por mais que uns defendam que a quarentena não é férias, não me sinto nem um pouco culpado por ter passado semanas vivendo a vida que sempre quis quando vim pra faculdade: passar os dias bebendo cerveja e dormindo.

Moral da história: conseguir desenvolver um trabalho durante esse período é importante, legal e bacana, no entanto, mais importante do que isso é cuidarmos de nós mesmos, já que muitos de nós para além de se preocupar consigo mesmos, precisam se preocupar com a família e amigos que estão longe; eu mesmo sou um exemplo disso, já que moro com algumas pessoas jovens que não estão respeitando as recomendações de saúde de maneira satisfatória, ainda tenho que me preocupar com meus irmãos que insistem em levar os amigos pra comerem churrasco em minha casa (já falei pro meu pai soltar o cachorro no quintal pra ninguém entrar em casa, mas ele não quer fazer isso).

Portanto, se puderem e forem obrigados, continuem desenvolvendo suas tarefas em casa, caso contrário, façam o que gostam, que acham que vai ajudar a lidar com tudo o que está acontecendo, cuidem da saúde mental de vocês e, também, se puderem ajudem o colega que tá passando por dificuldades, vamos nos ajudar e cuidar uns dos outros, galera!

E um muito obrigado, Rachel, por ter tanta paciência comigo nesse período, estou me esforçando, "pegando no tranco" mas me esforçando pra fazer isso ficar mais fácil pra nós dois e, quando tudo isso passar e a gente puder se encontrar pessoalmente, te pago uma rodada de cerveja.

OBS: meu cabelo está bagunçado porque estou no conforto do meu lar, e é isso aí.


Graduando em História (FURG).
Tema de pesquisa: A potencialidade da Educomunicação no Rap Paulista.